O sol da minha constelação.

17:08

ballons

Minha vida é uma constelação de desejos. Muitos deles alcançados e contemplados pela realidade; porém, sempre me tivera uma outra maior parte de apenas desejos... aqueles negados pela luz que a realidade emana e faz queimar. Desejos interligados à sonhos; meus mais sublimes sonhos, aqueles criados pela alma, pelo coração, pela parte mais pura que me forma. Esses sonhos, sou eu. Um ser completamente ligado aos desejos. Assim como qualquer outra constelação, minha vida está cercada por um longa e poderosa escuridão, o mundo. Um mundo escuro, cruel e ambicioso aos meus sonhos. Com inúmeros planos e condições de destruí-los. Sempre tive medo do mundo; sempre tive receio de que um dia, dia este, repleto por sentimentos escuros igualitários ao mundo; ele por um rasteira me derrubaria, caindo assim comigo, numa rapidez, meus desejos. Andava sempre com esse medo, me impedindo e fechando assim as portas que um dia foram a realidade, impedindo a passagem dos meus desejos. 
[...] Lembro-me ser tarde, as horas já estavam avançadas; estava cercado por pessoas que diziam ser amigo. Quando conseguir ver ao longe, alguém, com um sorriso inigualável, com sonhos e desejos, assim como os meus. Percebi então, que um antigo desejo realizado por minha singela criança interior encontrou passagem por meio a realidade. O mundo parou. O tempo, ali, aos meus olhos, congelado. E apenas nós, naquela vasta eternidade. Seu corpo era moldado pelos sonhos, pelas habilidades que o mesmo possuía. Impressionantemente perfeito. Naquele dia, igualmente à todos os outros, possuía dentro de mim, o medo. O medo de ser derrubado pelo mundo, de cair, e perder as oportunidades de tornar meus desejos e sonhos encontrarem a estrada para a realidade. Quando se aproximou-se de mim, percebi em seus olhos uma profunda luz, que me fez refletir... Como já disse, sempre imaginava um dia em que perderia tudo. Um dia escuro e repleto de sentimentos escuros, iguais ao mundo. O medo não possuía cores alegres. O medo era para mim um sentimento de cores fúnebres. Então, entendi que precisava de retirar de mim, um único sentimento, que trancava a porta da realidade. O medo. 
Encontrei naquele dia, já avançado em horas, meu sol. Minha luz. A esperança de meus sonhos e desejos. A rocha que manteria segura minha constelação, ou seja, minha vida. Percebi também, que minha vida realmente se parecia com uma constelação, com uma estrela forte e luminosa ao centro. Ele. Não tive mais medo. 

Elcimar Reis 
Para.: JS 

Você também pode gostar:

Comentários
1 Comentários

1 mil comentários

  1. Saudades de comentar aqui, Andy!
    Como sempre, seus textos são os melhores! Você deveria escrever um livro, já pensou nisso??
    Você é realmente muito bom!!!

    Beijão!
    batomdeframboesa.com

    ResponderExcluir

Já curtiu?

+ Lidas