Sem nome. III

09:00

aquarium | via Tumblr
Eu o considerava muito; de tal forma que era impossível ir aos teatros ou assistir um filme sem que fosse presença em minha mente. Certa vez me dissera que não haviam motivos para não deixar-me entrar em sua vida, disse que assim eu o faria feliz; tolamente acreditei. Talvez eu o tenho feito afinal, por alguns dias ou semanas; contudo nada que retirasse meus lamentos ou culpas. Não busco por perdão, busco por soluções e por uma vida futura, que ao meu ver não existe. Eu o empurrei aos braços negros e frios da morte, e é à isso que o "imperdoável" se apega. 

FIM. 
Elcimar Reis.

Você também pode gostar:

Comentários
1 Comentários

1 mil comentários

Já curtiu?

+ Lidas