Pegue o cogumelo.

09:00

Green 1UP Mushroom Watercolor Art Print by Olechka | Society6

Quero eu o que tu não queres para mim. Sempre me portei como o tal, como alguém feroz que jamais diria sim à tais atos, à tais crueldades. Sem pecados, eu era. Sem arrependimentos ou negritude, era também. Como me tornei aquilo que mais detestava? Quero o que um dia esteve comigo! Mansidão, pureza e paz, mas tu não queres o mesmo; quero minha vida de volta. 

Elcimar Reis. 

Você também pode gostar:

Comentários
7 Comentários

7 mil comentários

  1. É triste quando nos perdemos em nós mesmo. Adorei o texto!

    Beijos,
    Radioativa Fluffy

    ResponderExcluir
  2. Pior que é isso que acontece. O que eu quando criança diria se me visse agora? Não sou mais a garota que era antes. Não gosto das mesmas coisas, não falo da mesma maneira, não me porto do mesmo jeito. E pior: faço coisas que quando pequena eu repudiava.
    Afinal, é preciso tomar cuidado com aquilo que vamos nos tornar. Mas se já temos essa consciência de que não mudamos do jeito que queríamos, e se isso for ruim, dá pra aproveitar o tempo. Somos tão jovens pra mudar e desmudar quantas vezes quisermos, né?

    Bem legal o texto!
    Expresso de Nárnia

    ResponderExcluir
  3. Engraçado, porque hoje gosto de uma coisa que nunca pensei gostar, que sempre enojei. Tudo muda tão rápido.
    http://s-sessaoproibida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Curto e direto, mas com uma mensagem bem legal! Gostei

    Beijos
    www.heyealaysa.com

    ResponderExcluir
  5. O texto é incrível e o título ficou incrível no contexto... Nossa, adorei, hehe!

    Jeito Único

    ResponderExcluir

Já curtiu?

+ Lidas