Ode ao casal, liberdade e felicidade!

15:03


Paraiva sobre mim, a brisa de uma janela sem fim, 
paraiva sobre mim, tal janela que um dia caberá a ti.
Olhei-a e ainda estavas lá; olhe a tua e confiras se há o "lá". 
Sinto-me livre, sem pés, corrimões ou caminhos a seguir.
Sinto-me dono de um "eu" que jamais existiu, que doubrou-se
à ignorância de outros seres, que também, não existem. 
Nasci. Corri. Fugi. Caminhei. Cai. Mas levantei, ávido no final.
Olhei a tal janela, ode a liberdade, à avidez de uma vida casada
com a felicidade. 

Elcimar Reis. 

Você também pode gostar:

Comentários
1 Comentários

1 mil comentários


  1. Que lindo Elcimar!
    Um muito belo poema tens aqui!
    E então esse trecho me diz muito:

    "Nasci. Corri. Fugi. Caminhei. Cai. Mas levantei, ávido no final"...

    Beijos e beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

+ Lidas