A guerra da percepção.

18:00

Imagem de hand, sea, and ocean

Estávamos perto, na mesma cidade; e de tão perto ficamos longe. Realidade. Nos aventurando sempre da mesma forma, e forçando-nos aos reles sorrisos - admito. Existem momentos em que tudo o que você deseja fazer, mesmo que não perceba, é correr, fugir e se esconder. Eu estava preso em um desses momentos. Garras me puxavam de volta, como se me desejassem. Meu pés me desobedeciam. Eu corria velozmente, quando na realidade meus passos estavam apenas na minha mente. Parado. Estagnado. O tal desprezível sentimento me dominava. Fora quando, justamente, percebi. E por mais que me doesse, precisava partir. Aceitar que as minhas garras tinham nome, e que meus pés estavam presos ao chão. Apenas esperando o dono, em prontidão. 

Elcimar Reis. 

Você também pode gostar:

Comentários
1 Comentários

1 mil comentários

  1. "Ah meu rapaz, espero que você saiba o que está fazendo. Espero que não se arrependa em ter deixado ir embora, mesmo depois de ter insistido tanto em ficar. Temia que acontecesse isso, como um café frio fosse deixado para lá..."

    ResponderExcluir

Já curtiu?

+ Lidas