Porão

18:18

Imagem de art, drawing, and grunge

Desci as escadas da mente, 
Abrindo o porão que sempre 
Estivera à frente. 
Talvez não tenha descido, 
Mas caído profundo
Naquele porão sem fundo. 
O medo agora não é o de ter tropeçado.
Mas o de perceber, a curto prazo 
o ser que sou: 
despedaçado. 

Elcimar Reis

Você também pode gostar:

Comentários
8 Comentários

8 mil comentários

  1. POEMA INCRÍVEL <3 <3 <3

    Acho que todos temos medo de perceber uma porção de coisas sobre nós mesmos... Talvez o porão seja onde escondemos essas coisas, e depois fingimos nos esquecer delas (para, num dia trágico, percebê-las outra vez).

    Beijos!
    O Único Jeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim Lari. Acho que o porão que nos cabe seja o inconsciente. Aquele lugar onde mandamos tudo o que não queremos ver/saber. E ir pra lá é uma aventura e tanto, não? ♥ Obrigado pelo carinho.

      Excluir
  2. Que tiro! Qual será, afinal, o porão de cada um? Creio que conheço o meu, e já estou começando a arrumá-lo as vezes...

    melninas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meel. Amei seu comentário. Até postei ele na Fan Page do blog. ♥ E sim, é preciso arrumá-lo as vezes! Obrigado pelo carinho!

      Excluir
  3. Você fez uma alusão ao porão pra falar da mente e eu me lembrei de quando fiz um texto com metáfora à um corredor. Afinal de contas, nos perdemos ou nos encontramos neles? Poema lindo, como sempre! ♥

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nos perdemos ou nos encontramos neles? ESTA É A QUESTÃO, DE FATO! Selmaaa! Fantástico! ♥ Obrigado pelo carinho!

      Excluir
  4. Olá, Elcimar! Tudo bem?

    Adorei o breve poema, que por mais que seja pequeno faz com que uma extensa reflexão tome conta do leitor, ao menos foi assim comigo... Acredito que o maior medo que todos nós nutrimos é o de descobrir quem realmente somos, quero dizer: descobrir que não somos nada do que realmente desejamos ou acreditamos ser. Afinal, ninguém quer ser um fracassado, e por isso que muitas vezes ficamos decepcionados ao acreditarmos que somos completos idiotas que nunca irão conseguir se reerguer. Posso tá errado, mas acho que esse poema quis trabalhar essa questão, a do estar em cacos por algum motivo e ter a convicção que nasceu-se para ser assim.

    Ficou meio confuso, não foi? Mas teu poema já disse tanto...
    Até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Renatooo! E sim, basicamente foi isso que eu quis trabalhar no poema! E concordo com o que disse: o maior medo que todos nós nutrimos é o de descobrir quem realmente somos! Essa é a questão!
      Obrigado pelo comentário. Fico realmente gratificado que tenha gostado ao ponto! ♥

      Excluir

Já curtiu?

+ Lidas