Nota final de mais um estudo antropológico.

17:56

Imagem de office, papers, and phone

O COMPORTAMENTO DO MEU VIZINHO, BEM COMO, O DO VIZINHO AO LADO DO MEU VIZINHO.

Nota final: 

Certo é que em cada cidade, rua ou comunidade, as pessoas se comportam de um jeito diferente. Pressuposto este que já ocupava não só o tempo do grande Durkheim, mas a mente. Deixe-me, então, dizer como as pessoas agem por aqui. Deixar os afazeres cotidianos, as panelas ao fogo, e as crianças implorando comida; para, ligeiramente, dar as caras na janela de casa, e observar tudo e todos que pela rua passam, são atos corriqueiros de todas as pessoas que moram perto de mim. E, sinceramente, não concebo a viabilidade e possibilidade de tal ideia. Pois, ao me analisar, me fitar no espelho e refletir sobre meus sentimentos e infinitos anseios, apenas uma conclusão consigo perceber: ainda há uma infinitude de coisas sobre mim que preciso saber. E pasmo fico ao observar que, de certo modo, meus queridos vizinhos deixam de lhes auto-conhecer e consigo mesmo se preocuparem, apenas para me observar, fofocar e denotar. Insanidade: sempre será o produto intrínseco de todo estudo e observação sobre esta sociedade. 

Elcimar Reis. 

Você também pode gostar:

Comentários
9 Comentários

9 mil comentários

  1. Que texto, Elcimar! Ainda lerei Durkheim, mas entendo completamente. Costumo dizer, com minha chefe, que as pessoas fogem de suas próprias tristezas - que são caminhos por onde descobrimos quem realmente somos - para se distrair com alegrias efêmeras, talvez seja essa distração de si mesmos que os vizinhos busquem nos outros. O que é triste para nós, que detestamos ser observados, não é mesmo? Lembrei de 1984, do Orwell, quando os vizinhos se deduram (isso aconteceu inclusive diversas vezes na história) para o governo, é algo que pode causar cataclismas.

    beijão e sigamos nos olhando nos espelho a procura de nós mesmos, enquanto os outros fogem de si.

    ResponderExcluir
  2. Oi Elcimar, primeiramente, ótimo texto 👏
    Às vezes fico observando as outras pessoas também e pensando o quanto sou diferente de todos, como se eu vivesse num outro mundo kkk
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Mundo, mundo... E cidades pequenas (bem as conheço)...

    Mais um texto incrível. Obrigada por ele.

    Abraços e uma semana linda para você!

    ResponderExcluir
  4. Elcimar! Que texto mais empolhante de poder se ler... Presumo que,isso seja o que se passa por aqui onde moro,talvez não era para mim me auto identificar mas achei necessário dizer que também passo por isso aqui na vizinhança. Te entendo ♡

    https://r-eeckless.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Esse comportamento é bem típico da minha cidade natal, as pessoas por lá deixam de viver suas próprias vidas para viver as dos outros.
    Ótimo texto!

    mariasabetudo

    ResponderExcluir
  6. E isso dos vizinhos ainda se torna mais frequente quando você mora no mesmo lugar desde que nasceu e todos os vizinhos conhecem todo mundo da sua casa porque moram ali a mais anos que você. É foda quando eles sabem até a hora que você chega ou sai. Sorte que aqui onde eu moro tem 3 entradas diferentes que dá pra fugir e ir variando pra ninguém marcar ponto na sua vida, sabe? Hahaha! Mas confesso que to louca pra me mudar logo.
    Beijos!

    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  7. CARA! Você me deixa sem palavras. Amei demais.

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Eu penso a mesma coisa dos meus vizinhos huahuahu
    Eles largam tudo para ir à janela ver o que está acontecendo na vizinhança, odeio isso

    Tenho um canal novo *-* se inscreve lá?
    https://youtu.be/16v1jr6TjA4

    Com amor, ♥ Bruna Morgan

    ResponderExcluir
  9. A curiosidade é algo que move a humanidade, não é mesmo? O que me deixa um tanto pasma é o fato de que ainda há pessoas que não usam este extinto para algo pertinente. A mesma curiosidade que nos move, nos destrói.

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir

Já curtiu?

+ Lidas