A lei da guilhotina social.

22:24

Imagem de tie, black and white, and suicide

A solidez que permeia
A criação humana
É tão frágil quanto
Sua habilidade de certeza.
Certeza, temos do que?
Homem que sabe.
Sapiens. 
Que edita, que cria e se organiza.
Mas será que sabemos?
A lei que criamos é jargão.
Incompreensível em medida subjetiva,
É isso ou aquilo; vindas ou idas.
Interpretada de modo grotesco, brutal;
As vezes literal, sistemática ou racional.
Usada como instrumento, um fim em si mesmo,
De inclusão ou exclusão social.
Mas, calma!
Não a tínhamos criado?
Pra nos organizar?
Nos proteger, humanizar?
Sim.
Cavamos nossa própria
Destruição.
À largos passos do que
Chamamos "evolução".

Elcimar Reis. 

Você também pode gostar:

Comentários
8 Comentários

8 mil comentários

  1. Indiretamente ou não, as gloriosas canetadas dos três poderes da república, mais nos matam do que nos salvam. Nesse cárcere teoricamente democrático, nos perecemos.
    notas-poeticas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo. As canetas dos três poderes realmente fazem jus ao lugar em que estao. Obrigado pelo carinhoooo! 💘💘💘

      Excluir
  2. Trocadilhos geniais, críticas tão afiadas quanto uma guilhotina.

    Os fatos são estes, espero que não nos cortem a cabeça de uma vez.

    {Blog Pensamentos Irreais}  {Twitter}   {Fan Page}


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AAAAAAAAA. Muito obrigado pelo carinho. Espero que não nos cortem a cabeça de uma vez! 💘💘💘💘

      Excluir
  3. Grande "evolução" esta que vivemos. Amei, parabéns!

    mariasabetudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande!
      Muito obrigado pelo carinho Sté! 💘💘💘

      Excluir
  4. Oi, Elcimar! ♥
    Primeiro: adorei o layout novo do blog (acho que não tinha visto depois da mudança).
    Segundo: seu poema me fez pensar no nosso sistema político e no quanto estamos nos afundando em nossa própria sorte. Talvez seja porque há pessoas que sempre tentam corromper a própria organização criada pela sociedade.
    Se há solução, não sei. Sei que, como professora, continuo tentando e tendo esperanças a respeito das novas gerações.

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
  5. Oie Fê! Muito obrigado pelo carinho. De fato, não podemos nunca perder as esperanças. Devo e, indubtavelmente, acredito que há solução pra atual situação política brasileira/mundial.

    ResponderExcluir